A Gaiola



E era a gaiola e era a vida era a gaiola
e era o muro a cerca e o preconceito
e era o filho a família e a aliança
e era a grade a filha e era o conceito
e era o relógio horário o apontamento
e era o estatuto a lei e o mandamento
e a tabuleta dizendo é proibido.


E era a vida era o mundo e era a gaiola
e era a casa o nome e a vestimenta
e era o imposto o aluguel a ferramenta
e era o orgulho e o coração fechado.
E era o amor e o desamor e o medo de magoar
e eram os laços e o sinal de não passar.
E era a vida era a vida o mundo e a gaiola
e era a vida e a vida era a gaiola.

Maria do Carmo B. C. de Melo

1. Leia o poema:
a) Explique por que o poema se chama “A gaiola”.
b) Explique o sentido expresso pela repetição da conjunção coordenativa aditiva e.
c) Suponha que não houvesse nenhuma conjunção e no poema. Que sentido essa ausência da conjunção conferiria ao texto?
d) Que relação de sentido há no emprego da conjunção e neste verso: “e era a vida e a vida era a gaiola”.

Postagens mais visitadas deste blog

De um lado cantava o sol - Cecília Meireles

Vermeer e os impressionistas

Depois do sol...