Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2012

Figuras à Margem da Sociedade Ganham o Centro das Telas

Toulouse-Lautrec era apaixonado pelo que se pode chamar “mundo marginal” parisiense do final do século XIX. Como musas, Lautrec elegeu personagens anônimos, principalmente mulheres. Garçonetes, dançarinas, de cancã, prostitutas e lésbicas foram sua principal fonte de inspiração para criar envolventes personagens erotizadas que, no entanto, também o levaram à decadência. Rosa La Rouge, sua modelo predileta, lhe transmitiu a sífilis, doença que, aliada ao alcoolismo, foi responsável pela morte precoce do pintor, aos 36 anos de idade.             Apesar do nanismo e do aspecto pouco atraente de seu corpo de homem sobre pernas de garoto, Toulouse-Lautrec seduzia as mulheres pelo bolso, mantido cheio pela nobre família de Albi, sul da França. Nos momentos de depressão, o artista refugiava-se nos bordéis e relacionava-se cm artistas como La Goulue, a dançarina mais famosa do Moulin Rouge, Jane Avril, Yvette Guilbert, Grille d’Égout e Raynon d’Or, todas suas madonas, retratas em pôsteres e qu…

“À mesma D. Ângela”

Anjo no nome, Angélica na cara, Isso é ser flor, e Anjo juntamente, Ser Angélica flor, e anjo florente, Em quem, senão em vós se uniformara?
Quem veria uma flor, que a não cortara De verde pé, de rama florescente? E quem um Anjo vira tão luzente, Que por seu Deus, o não idolatrara?
Se como Anjo sois dos meus altares, Fôreis o meu custódio, e minha guarda Livrara eu de diabólicos azares.
Mas vejo, que tão bela e tão galharda, Posto que os Anjos nunca dão pesares, Sois Anjo, Que me tenta, e não me guarda.

MATOS, Gregório de. In: Poemas escolhidos. Seleção, introdução e notas de José Miguel Wisnik. São Paulo: Cultrix, 1976.

Um da família

Imagem
Exploração
1. Quanto e quais são os animais que aparecem representados na tela? 2. Observe como o artista pintou partes mais ou menos iluminadas, isto é, há mais ou menos luz e sombra em lugares distintos da obra. Qual a personagem que está mais na sombra? 3. Qual das crianças, em sua opinião, gosta mais do cavalo? Por quê? 4. Liste os elementos que comprovam que a cena representada é de uma época mais antiga? 5. Como você acha que a família reagiu quando o cavalo apareceu na janela? Justifique. 6. Por que você acha que a obra recebeu o nome de Um da família?

Resolução: 1. Há dois animais na tela: o cão e o cavalo. 2. Pode-se localizar, no fundo, à direita, um homem. 3. Resposta livre. Aqui, o importante é permitir a participação dos alunos. Verificar como observam a tela, suas opiniões e questionar suas respostas. Nota-se que a criança da esquerda está oferendo comida ao animal, o que poderia ser indício de uma atenção maior ao cavalo. 4. A época pode ser percebida a partir das peças do vestuár…

O que é Semiótica?

Semi-ótica — ótica pela metade? ou Simiótica — estudo dos símios?
 Essas são, via de regra, as primeiras traduções, a nível de brincadeira, que sempre surgem na abordagem da Semiótica. Aí, a gente tenta ser sério e diz: — "O nome Semiótica vem da raiz grega semeion, que quer dizer signo. Semiótica é a ciência dos signos.". Contudo, pensando esclarecer, confundimos mais as coisas, pois nosso interlocutor, com olhar de surpresa, compreende que se está querendo apenas dar um novo nome para a Astrologia.
Confusão instalada, tentamos desenredar, dizendo: — "Não são os signos do zodíaco, mas signo, linguagem. A Semiótica é a ciência geral de todas as linguagens". Mas, assim, ao invés de melhorar, as coisas só pioram, pois que, então, o interlocutor, desta vez com olhar de cumplicidade — segredo desvendado —, replica: — "Ah! Agora compreendi. Não se estuda só o português, mas todas as línguas".
Nesse momento, nós nos damos conta desse primordial, enorme equív…

Entrevista com Mário Perini

Língua, Linguagem e Linguística

Entrevistadores – O que é língua?

Perini – Chamamos “língua” um sistema programado em nosso cérebro que, essencialmente, estabelece uma relação entre os esquemas mentais que formam nossa compreensão do mundo e um código que os representa de maneira perceptível aos sentidos. Os seres humanos utilizam um grande número de tais sistemas (“línguas”), que diferem em muitos aspectos e também se assemelham em muitos outros aspectos. Tanto as diferenças quanto as semelhanças são altamente interessantes para o linguista.
O sistema em questão é de uma complexidade extrema: compreende regras (de pronúncia, de formação de palavras, de formação de frases, de relacionamento das formas com os significados), itens léxicos (palavras e morfemas, com suas propriedades gramaticais e seus significados), expressões idiomáticas (como pisar na bola ou mãe de santo) e clichês (como ficar sem fala e tomar café). Acredita-se hoje que o sistema é em parte inato, pois todas as língua…

Juízo Final (1536-1541)

Imagem
Michelangelo Buonarroti (Itália, 1475-1564) Pintura em afresco – 1.700 cm x 1.330 cm
Capela Sistina – Vaticano, Roma
Após enfrentar muitas dificuldades durante quatro longos anos dedicados à pintura do teto da Capela Sistina, entre 1508 e 1512, Michelangelo volta em 1536 para realizar outra grande obra na parede do altar, Juízo Final, termina apenas 1541. Inspirado no poema Inferno de Dante Alighieri, de quem o artista era especial admirador, e no hino latino Dies Irae (“Dia de Ira”), Michelangelo mostra, por meio de enormes figuras humanas, misturadas de forma sufocante, a realidade da morte e do medo. No centro desse amontoado de corpos encontra-se um Cristo jovem e atlético, tendo a lado a Virgem, que evita olhar ao redor para não presenciar a execução dos castigos. O artista revelou, ainda, toda a sua dedicação, esmero e persistência durante seu árduo trabalho, não se dando como vencido nem mesmo pelo fato de ter sofrido perigosa queda dos andaimes. Tao logo o afresco foi inaugurado,…

Salvador Dalí

Imagem
Salvador Dalí, como pintor, bebeu conscientemente das fontes mais clássicas - ou seja, das mais sólidas e seguras do saber pictórico ocidental. Aprendeu dos grandes mestres da pintura da época moderna, aqueles que basearam seu saber na perfeição do ofício,  no conhecimento e no acerto da representação do espaço, na precisão do detalhe, na correta modulação da luz e no efeito do virtuosismo, às vezes episódico, às vezes necessário.


Rosto e Fruta
Busto de Voltaire
Ascensão de Cristo
Persistência da Memória Cisnes refletindo elefantes


Imagens da Semana

Imagem

Criatividade é tudo

Imagem