Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2009

Acordo ortográfico - Arilton Bronze

Imagem
A quem faz bem?

Ao superaquecimento.
Ao jumento.
Alento.
Amém!!!!

Ao homem humano, subumano, mano, você...

Ao homem bilíngue
Eloquente
Quente
Elegante
Frequente
Potente...

Ao homem tranquilo:
Müller o mülleriano,
O mulherengo shakesperiano....

Ao homem que apoia a epopeia, que estreia Camões.
Ao homem heroico
Playboy da odisseia.
A paranóia, a jiboia, que engoliu a joia de alguém...

Ao homem da feiura, da loucura que mata no playground.

Ao homem do acento, avarento...
Que comeu tuiuiús no Piauí.
Cuidado playboy, olha o IBAMA aí.

Ao homem em seu assento e os acentos
Querendo te confundir, arguir...
O que fazer?
Ó deuses dos acentos!
Deem alentos ao homem infringidor.
Deem voos,
Enjoos,
Perdão...

Ó deuses dos polos! Rogo-te!
Bênçãos ao urso de pelos brancos.
O branco de alguém.

Ao homem forte...
Do norte, será que ele para o trem? Talvez!
Talvez ele coma a pera de alguém.
Esses homens do norte têm coragem.
Por isso, alguns mantêm e detêm o poder...

Ao homem.
Ao super-homem, sobre-human…

Matriz Nossa Senhora da Conceição

Imagem
Matriz Nossa Senhora da Conceição
Construída no início do século XIX, no local da antiga igreja da Vila de Santa Cruz. Teve como modelo a igreja de Palmas de Salvador.

Sua torre cônica, acrescida posteriormente, é uma raridade na arquitetura colonial.
O culto a Nossa Senha da Conceição foi oficializado no reinado de Portugal em 1640. No Brasil se tornou uma devoção muito popular, havendo várias cidades, igrejas e altares dedicados a ela.
Foi a padroeira do país durante a Colônia e o Império, cedendo o lugar, na República para Nossa Senhora Aparecida.


Fonte: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Porto Seguro - Bahia

Receita de texto narrativo

Imagem

Peladas - Armando Nogueira

Esta pracinha sem aquela pelada virou uma chatice completa: agora, é uma babá que passa, empurrando, sem afeto, um bebê de carrinho, éumpardevelhosquetrocasilênciosnumbanco sem encosto. E, no entanto, ainda ontem, isso aqui fervia de menino, de sol, de bola, de sonho: “eu jogo na linha! eu sou o Lula!; no gol, eu não jogo, tô com o joelho ralado de ontem; vou ficar aqui atrás: entrou aqui, já sabe.” Uma gritaria, todo mundo se escalando, todo mundo querendo tirar o selo da bola, bendito fruto de uma suada vaquinha. Oito de cada lado e, para não confundir, um time fica como está; o outro joga sem camisa. Já reparei uma coisa: bola de futebol, seja nova, seja velha, é um ser muito compreensivo que dança conforme a música. Se estiver no Maracanã, numa decisão de título, ela rola e quica com um ar dramático, mantendo sempre a mesma pose adulta, esteja nos pés de Zico ou nas mãos de um gandula. Em compensação, num racha de menino ninguém é mais sapeca: ela corre para cá, corre …

Ruina desconhecida - Cidade Histórica de Cabrália

Imagem
Ruína Desconhecida
Ruína de construção inacabada com elementos arquitetônicos do século XVIII.
Não há registro de sua possível finalidade e as pesquisas arqueológicas realizadas, até o momento, não puderam identificar qualquer elemento que evidenciasse a que serviria tal edificação.
Conforme pode ser comprovado em gravura produzida pelo Príncipe Maximiliano Wied-Neuwied, a ruína era observada no século XIX, quando de sua passagem pela região em 1815/1816, numa das expedições científicas que em muito contribuiu para o levantamento histórico da região.
No relato dessa viagem é claro o seu encanto pelo colorido das paisagens e pelas observações sempre surpreendentes, sendo um dos mais minuciosos levantamentos científicos do nosso patrimônio natural, e neste caso em especial, do nosso patrimônio arquitetônico.

Fonte: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional de Porto Seguro - Bahia