quinta-feira, 2 de julho de 2015

O Pão do Diabo

Leia o texto a seguir e responda as questões

 Espalhou-se no bairro a notícia de que Ludovico, ao partir o pão quando jantava, teria exclamado:

      -Este é realmente o pão que o diabo amassou. O padeiro Romualdo sentiu-se ofendido em sua honra profissional e foi pedir satisfação. Ludovico não só confirmou o que dissera, como aduziu:
      - É também o diabo que fabrica a sua farinha, Romualdo. Fique alerta e verá.
     O padeiro não dormiu aquela noite. De madrugada, pé antepé, entrou na padaria e surpreendeu um estranho ser que retirava os pães do forno, fazendo-os desaparecer e substituindo-os por outros que eram amassados na hora, feitos de uma farinha especial, com vago cheiro de enxofre.
      Petrificado de espanto, Romualdo nada pôde fazer. Mesmo porque logo em seguida caiu duro no chão, onde foi encontrado ao amanhecer, e pouco a pouco recuperou a consciência.
      Seu primeiro gesto foi pedir um pão e cheirá-lo. Cheirava natural, mas o padeiro não ousou prová-lo. Fechou o estabelecimento e sumiu no mundo.

      Ludovico arrematou as instalações e passou a ser o padeiro do bairro, sem problemas.

 (Carlos Drummond de Andrade)


INTERPRETAÇÃO 1. O que Ludovico teria dito no momento em que partiu o pão durante o jantar? 
_________________________________________________________________________________ 

2. O padeiro não gostou de saber o que Ludovico havia dito. 
a) Como se chamava o padeiro? 
_________________________________________________________________________________

b) Que atitude ele tomou? 
_________________________________________________________________________________

3. Responda. 
a) Ludovico, diante da reação do padeiro, confirmou ou negou o que já havia dito?
_________________________________________________________________________________
 b) O que mais ele disse ao padeiro a respeito da farinha? 
_________________________________________________________________________________
c) Que conselho deu ao padeiro? 
____________________________________________________________________________________________ 

4. Naquela noite, o pedreiro não dormiu. a) Aonde o padeiro foi de madrugada?
 _________________________________________________________________________________ 
b) O que havia de estranho lá? 
____________________________________________________________________________________________ 

5. Ao ver a cena, o pedreiro desmaiou. Na manhã seguinte, ele pegou um pão e cheirou-o. 
a) Que cheiro tinha o pão?
____________________________________________________________________________________________ 

b) Por que, então, o padeiro não teria tido coragem de comê-lo? 
____________________________________________________________________________________________ 

6) Depois disso, o que o padeiro fez? E Ludovico? 
____________________________________________________________________________________________ 

7) Pelo desfecho - a maneira como o texto termina - é possível tirar duas conclusões: 
a) Quem era, nessa história, o “Diabo”?
 ____________________________________________________________________________________________ 
b) Com que objetivo ele teria dito o que disse no início do texto? 
____________________________________________________________________________________________ 

8) A frase -“comer o pão que o diabo amassou”- é comumente empregada na linguagem popular. 
Explique o que ela quer dizer. 
_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ 

9) Utilize de forma coerente a frase: “comer o pão que o diabo amassou” 
_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Prova de Língua Portuguesa

TEXTO 01
Conectividade ilimitada 24 horas no ar, executivos usufruem facilidades tecnológicas... e ressentem seus efeitos

FELIPE ASSUMPÇÃO
Sócio-diretor da A2Z Consultores
“ Hoje, a informação é disseminada (espalhada) a uma velocidade incrível. Infelizmente, algumas pessoas não se deram conta disso, o que acaba se refletindo em caixas postais repletas de mensagens, muitas delas absolutamente inúteis.
Lidar com essa realidade envolve administração de tempo e atitude. É preciso ser objetivo. [...]
No ambiente executivo, as trocas de mensagem de quem ocupa cargos de direção tendem a seguir um mesmo padrão de velocidade e de pensamento. Afinal, todos sabem que não há tempo a perder.
Neste sentido, algumas vezes o correio eletrônico chega a ser mais eficiente do que o telefone, até porque respeita o tempo do destinatário, que recebe a mensagem no momento em que está disponível. Outra vantagem do e-mail está na facilidade de manter viva a rede de relacionamentos.[...]
Não há dúvida que a vida atual é mais turbinada e competitiva, com exigências maiores. Por outro lado, os recursos estão mais avançados. Cabe a cada um administrar o próprio tempo e se permitir desconectar. [...].”

MÁRCIA GORAIEB
Diretora de Comunicação e Marketing da Ericsson Brasil
“ O nível de conectividade atual exige organização e disciplina. Caso contrário, nos tornamos reféns dos e-mails, que hoje chegam a todo momento, até pelo celular. A mobilidade traz muitos benefícios, mas embute o risco de uma disponibilidade ilimitada. Quem não se organiza e não impõe limites perde a privacidade e acaba trabalhando 24 horas por dia, 7 dias por semana. No caso do correio eletrônico, ajudaria muito se as pessoas tivessem critérios ao enviar mensagens. [...]
Como a hierarquia ainda pesa muito no Brasil, há também o costume de envolver diversas pessoas em discussões desnecessárias – e, o pior, com resultado efetivo, pois nesses casos o destinatário tende a se mobilizar com maior rapidez.
Não se pode, contudo, negar os benefícios da ferramenta, que imprime agilidade à comunicação, vencendo barreiras de tempo e espaço.”
(Trechos retirados da revista Exame, 13/abril/2005, seção PAINEL EXECUTIVO)

QUESTÃO 01. Os textos acima são jornalísticos e têm em comum o tema central. Qual é esse tema?

(A) Os dois textos falam de como a hierarquia ainda pesa muito no Brasil.
(B) Os dois textos falam dos pontos positivos e negativos dos avanços tecnológicos na atualidade.
(C) Os dois textos falam .
(D) Os dois textos falam .
(E)  Os dois textos falam como correio eletrônico, ajudaria muito se as pessoas tivessem critérios ao enviar mensagens.

QUESTÃO 02. Marque V para verdadeiro e F para falso sobre linguagem.
(    ) Fotografias, desenhos, ilustrações e pinturas são exemplos de linguagem verbal.
(    ) Fotografias, desenhos, ilustrações e são exemplos de linguagem não verbal.
(    ) A fala faz parte da linguagem não verbal.  
(    ) A linguagem verbal é composta de duas modalidades: oralidade e escrita.
(    ) A linguagem mista é composta de imagens e da modalidade escrita.

(A) V - F - V - F - F
(B) V - V - F - F - V
(C) F - V - F - V - F
(D) F - V - F - V - V
(E) F - F - V - F - V


Veja dicas simples de como economizar energia em casa

Apagar as luzes ao deixar um ambiente é o primeiro conselho para quem quer economizar energia em casa, seja por uma preocupação ambiental ou para diminuir a conta no fim do mês. Mas há outras medidas simples que fazem você gastar mesmo sem perceber, como é o caso dos aparelhos deixados no stand by. [...]
Lâmpada fluorescente - A utilização de lâmpadas fluorescentes compactadas, no lugar das incandescentes, pode representar uma economia de até 80% de energia elétrica. Uma lâmpada fluorescente compacta de 15 watts corresponde a uma lâmpada normal de 60 watts. Em média, as fluorescentes duram dez mil horas, enquanto uma lâmpada normal de 60 watts, apenas mil horas.
     Ao comprá-la procure, nas embalagens, o selo Procel (indicativo de que a luz consome pouca energia. As lâmpadas fluorescentes são mais caras que as comuns. Uma fluorescente de 20 watts, por exemplo, custa seis vezes mais do que sua similar incandescente. Contudo, a durabilidade das lâmpadas fluorescentes atinge entre 8 e 10 mil  horas  (sua  vida  útil  é estimada em até 10 anos), enquanto as incandescentes duram em média 1.000 horas (ou 1 ano).
      Vale lembrar que, apesar de economizar energia, as lâmpadas fluorescentes podem causar danos ao meio ambiente se descartadas no lixo comum, já que apresentam metais pesados como o mercúrio metálico.

Disponível em: <http://boaforma.uol.com.br/noticias/redacao/2010/03/25/
veja-dicas-simples-de-como-economizar-emcasa.ht->. Adaptado. Acesso em: 22 mar. 2013.


QUESTÃO 03. Para apresentar as diversas vantagens do uso de lâmpadas fluorescentes tais como suas características e sua vida útil, o autor emprega numerais

(A) Cardinais.
(B) Multiplicativos.
(C) Fracionários.
(D) Ordinais.


QUESTÃO 04. Análise os enunciados e identifique o tipo de numerais destacados.

(A) A água tratada chega aos lares de 20 milhões habitantes.  ___________________________________
 (B) Sua população está próxima dos duzentos mil habitantes ___________________________________
 (C) Os trabalhadores receberam o dobro do salário.       ________________________________________
 (D) A primeira capital de Tocantins foi Miracema.       _________________________________________
 (E) Quatro quintos dos trabalhadores das capitais são homens.   ________________________________


QUESTÃO 05. CIRCULE, nas frases a seguir, os vocábulos que indicam ação, estado ou fenômeno da natureza.

a)    As lâmpadas fluorescentes duram dez mil horas.
b)    As lâmpadas fluorescentes são mais caras que as comuns.
c)    Tornamos-nos reféns dos e-mails.
d)    Relampejou ontem.
e)    Os trabalhadores receberam o dobro do salário

Batons Líquidos Negra Rosa