Cantiga de amigo – Juan Lopes



Enquanto Deus me der vida,
viverei triste e coitada,
porque se foi meu amigo,
e disso fui a culpada,
pois que me zanguei com ele
quando daqui se partia:
por Deus, se agira voltasse,
muito alegre eu ficaria.
E sei que andei muito mal
em zangar-me como fiz,
porque ele não o merecia
e se foi muito infeliz,
pois que me zanguei com ele
quando daqui se partia:
por Deus, se agira voltasse,
muito alegre eu ficaria.
Certamente ele supõe
que comigo está perdido,
do contrário, voltaria,
porém, sente-se ofendido,
pois que me zanguei com ele
quando daqui se partia:
por Deus, se agira voltasse,
muito alegre eu ficaria.
Juan Lopes d’Ulhoa. Apud
 C. Berardinelli. Cantigas de
Trovadores medievais em
português moderno. p. 63.

1. O ‘eu” que fala nessa cantiga é masculino ou feminino?
2. Sabendo-se que “amigo” tinha o significado de namorado ou amante, explique o tema dessa cantiga.
3. Que função da linguagem predomina nesse texto?
4. Que versos compõem o refrão da cantiga?

Postagens mais visitadas deste blog

Minhas férias - Luis Fernando Veríssimo