Artigo




              Tudo começo quando, na esquina da minha casa, junto ao muro, avistei uma bolsa amarelo avermelhada com uma alça do tamanho da alça de uma merendeira.
            O que haveria dentro? Virei a bolsa de uma lado para o outro, de cima para baixo, mas não vi nenhum tipo de fecho, nem zíper. Apertava-a nas mãos e sentia alguma coisa macia que eu não sabia dizer exatamente o que era, mas que mexia com o meu tato e a minha sensibilidade.
            Esperando que se abrisse, decidi sacudi-la. De nada valeu o esforço: a bolsa continuou fechada.
            Voltei a sacudir a estranha bolsa, agora junto ao ouvido. Quem sabe poderia escutar algum tipo de som, um barulhinho por menor que fosse? Com o caramujo era assim, eu sempre conseguia ouvir o barulho do mar. Quem sabe com a bolsa...




1. No momento que encontrou a bolsa, o que o locutor sentiu

a) Curiosidade
b) Medo
c) Nojo
d) Satisfação

2. Explique o que levou locutor afirmar que a bolsa era “estranha”.

3. Explique a alteração de sentido que o uso dos artigos “uma” e “a” provoca no texto.

Postagens mais visitadas deste blog

De um lado cantava o sol - Cecília Meireles

Vermeer e os impressionistas

Depois do sol...