O Circo (1891)

Georges Seurat (França, 1850-1891)


Óleo sobre tela – 187,5 cm x 152,5 cm
Museu d’Orsay
Paris, França
  
            Assim como muitos de seus contemporâneos, Seurat também buscou inspiração nas sessões do circo Medrano, cujo resultado é esta belíssima obra. Na época, o circo era um lugar tão visitado pela boêmia parisiense quanto os cafés-concertos. Não é de se estanhar, portanto, que o brilho e o colorido desses circos fossem um dos temas favoritos dos pintores da época. A composição de Seurat é, no entanto, complexa. O pintor dá mais relevância ao aspecto formal do que o tema, que utiliza apenas como pretexto para aplicar a teoria do dinamismo por meio dos opostos: aos atores em movimento febril, voando sobre uma pista circular, opõe-se um público estático, sentado em uma arquibancada. Horizontalmente, o quadro altera listras vermelhas e brancas, permeadas por grandes pontos amarelos e azuis-violáceos. Dessa forma, o pintor consegue o tão buscado equilíbrio dos opostos.

Postagens mais visitadas deste blog

Minhas férias - Luis Fernando Veríssimo