Cristo em Emaús (1648)


Óleo sobre madeira – 68 cm x 65 cm.
Museu do Louvre – Paris, França

             Ao todo, Rembrandt pintou 24 obras religiosas, sendo que quase todas retratam passagens posteriores à morte de Cristo. Cristo em Emaús é considerada a mais bem-acabada do gênero. Os gestos intensos dos discípulos ressaltam a importância do momento e natureza sobrenatural de Jesus. A personalidade divina do filho de Deus se impõe sobre seus companheiros, e sua paz interior é irradiada por todo o ambiente. A escuridão se funde com a luz formando uma penumbra mística, impedindo a nitidez das formas. A arquitetura alta e a luz de um forno para pão exaltam a figura do redentor. Como aconteceu com outras obras religiosas do artista, essa também não conseguiu um comprador interessado, já que, na Holanda do século XVII, o gênero bíblico tinha deixado de construir uma categoria importante para a pintura. A burguesia local morava em casas menores, que pediam obras com motivos de animais, paisagem ou de costumes.

Postagens mais visitadas deste blog

De um lado cantava o sol - Cecília Meireles

Vermeer e os impressionistas

Depois do sol...