A primeira sessão de cinema

Ação e emoção invadiram um café parisiense, em 28 de dezembro de 1895, naquela que seria a primeira sessão de cinema da história. Graças aos irmãos Louis e Auguste Lumière, foi possível projetar imagens em movimento. A apresentação consistiu de curtos documentários sobre a vida cotidiana, filmadas ao ar livre, com a duração de aproximadamente dois minutos. Nascia o cinematógrafo, um invento que renderia milhões à indústria cinematográfica mundial. O pai dos irmãos Lumière, no entanto, era taxativo quanto a essa invenção: “o cinematógrafo é uma curiosidade científica sem nenhum futuro comercial”. Puro engano. Não demorou muito para que ele se popularizasse. Em 1906 foi adotando o padrão do americano Edson, considerado mais racional. Em 1907 foi fundada Hollywood, na Califórnia, a capital mundial do cinema, onde surgiram os primeiros grandes estúdios. Os primeiros filmes eram mudos, com legendas projetadas na tela. Na sala de exibição, um pianista – e eventualmente uma orquestra – acompanhava toda a ação. As projeções sonoras, realizadas pela sincronia entre o projetor e um toca-discos, foram inauguradas em 1912, no Gaumont-Palace. Essas projeções eram limitadas até a invenção dos amplificadores, durante os anos de 1920.  

Postagens mais visitadas deste blog

De um lado cantava o sol - Cecília Meireles

Vermeer e os impressionistas

Depois do sol...