Por que o álcool causa embriaguez?


Porque atrapalha a comunicação entre os neurônios, as células do sistema nervoso. Depois de passar pelo intestino alcançar o sangue, o etanol presente na bebida ativa a produção de substâncias que ampliam a ação dos neurotransmissores (moléculas que controlam o fluxo de informações entre os neurônios) responsáveis pelo prazer. “Em pequenas doses, a substância tem um efeito estimulante. A pessoa fica eufórica e, geralmente, menos inibida”, afirma Denise De Michelis, psicobióloga da Unifesp. Depois de algumas doses, no entanto, o efeito da bebida passa ser exatamente o oposto: o beberrão fica deprimido e começa a perder a coordenação motora e parte dos sentidos. Isso acontece porque, em concentrações maiores, o álcool interfere na ação de outro neurotransmissor que controla a entrada e saída de íons (átomos eletrificados) nos neurônios. Encharcada de etanol, essa substância deixa de controlar a entrada de íons de cloro nas células nervosas, gerando o efeito depressor. A capacidade de metabolizar o álcool varia de acordo com uma série de fatores, como etnia, sexo, idade e peso da pessoa. Mas é sempre um processo lento – um quarto de litro de cerveja leva duas horas e meia para ser eliminado pelo organismo. Por isso, a ingestão contínua de grande quantidade de bebida alcoólica acaba causando embriaguez - que não é senão o conjunto de sintomas de intoxicação.

Postagens mais visitadas deste blog

De um lado cantava o sol - Cecília Meireles

Vermeer e os impressionistas

Depois do sol...