Caraíva


O vilarejo parece ter parado no tempo: como energia elétrica a pouco mais de 4 anos, antes era  utilizado geradores a óleo diesel; o lugar também não conta com telefonia celular nem automóvel. Em Caraíva o acesso é feito em pequenas canoas através do rio que leva o mesmo nome. Suas ruas e vielas são de areia, alegradas pelas casinhas coloridas e vegetação primitiva. O estilo rústico é predominante nas modestas pousadas, bares e restaurantes que acomodam bem o visitante.

As praias são belíssimas e praticamente desertas são ótimas para banhos em suas águas mornas. A extensa faixa de areia margeada pela Mata Atlântica favorece a caminhada pelo lindo litoral. O pôr-do-sol assistido durante passeios de barco é imperdível, assim como o forró convidativo dos lugares para dançar, o mais conhecido é o Forró do Ouriço, que fica ao lado da administração e em frete aos barcos de travesseia do Rio Caraíva, chegada. Também vale à pena passear de carroça ou de canoa até aldeia Barra Velha e conhecer o cotidiano dos índios Pataxó.

Caraíva é uma pacata vila de pescadores a 70 quilômetros de Porto Seguro, que tem uma natureza exuberante e totalmente preservada. Logo na chegada, uma incomparável paisagem se abre na ladeira de acesso ao lugar: o rio de um lado, a vila no meio e no fundo o estonteante azul do mar, emoldurado pelos coqueirais.










Fotos: Arilton Bronze - abronze@gmail.com
 

Postagens mais visitadas deste blog

De um lado cantava o sol - Cecília Meireles

Vermeer e os impressionistas

Depois do sol...