La Moulin da la Galette (1876)

Renoir. Óleo sobre tela - 175 cm x 131 cm
Museu d’ Orsay. Paris, França

Renoir era amante da alegria desse salão parisiense de dança ao ar livre, também presente em outras obras. Nesse quadro, conseguiu transpor para a tela toda a festividade, a cor e o divertimento dos pares rodopiando ao centro. Depois de uma fase dedicada às paisagens, a partir de 1876 o pintor retomou o que também sempre foi uma constante em sua vida: o caloroso interesse pelo humano. Foi nesse período que passou a concentrar-se em retratos de figuras. Com seu prazer pelas reuniões festivas, pintou grupos de amigos e multidões, fazendo um registro das diversões burguesas nas grandes cidades. Com Le Moulin de la Galette, o artista conseguiu mesclar figuras humanas, destacadas individualmente, com o espaço ao ar livre, ensolarado, e uma atmosfera em movimento. Além disso, fez a obra em formato maior do que o seu costume, mantendo-se, no entanto, fiel a um dos princípios do Impressionismo: o eterno otimismo na arte. Todavia, sua busca estética nesse período não foi reconhecida oficialmente.

Postagens mais visitadas deste blog

De um lado cantava o sol - Cecília Meireles

Vermeer e os impressionistas

Depois do sol...