Psicologia de um vencido



Eu, filho do carbono e do amoníaco,
Monstro de escuridão e rutilância,
Sofro, desde a epigênese da infância,
A influência má dos signos do zodíaco.

Produndissimamente hipocondríaco,
Este ambiente me causa repugnância...
Sobe-me à boca uma ânsia análoga à ânsia
Que se escapa da boca de um cardíaco.

Já o verme — este operário das ruínas —
Que o sangue podre das carnificinas
Come, e à vida em geral declara guerra,

Anda a espreitar meus olhos para roê-los,
E há de deixar-me apenas os cabelos,
Na frialdade inorgânica da terra!

ANJOS, Augusto dos. Eu e Outras Poesias.
Rio de Janeiro/Belo Horizonte: Livraria Garnier, 1998. p. 56.

1. Assinale a alternativa em que se apresenta um aspecto de que um parnasiano convicto criticaria, ao ler esse poema.

a) Organização do texto em forma de soneto.
b) Emprego de rimas, inclusive do tipo preciosa.
c) Presenças de palavras julgadas antipoéticas.
d) Preocupação com a métrica do poema.

2. Estão presentes nesse poema as seguintes características, EXCETO

a) Cientificismo
b) Misticismo
c) Apuro formal
d) Pessimismo

3. A temática do poema é

a) A ciência
b) O cosmo
c) A morte
d) A loucura


Gabarito:
1. C
2. B
3. C

Postagens mais visitadas deste blog

De um lado cantava o sol - Cecília Meireles

Vermeer e os impressionistas

Depois do sol...